SEXTA-FEIRA DA PAIXÃO E MORTE DO SENHOR

NA CRUZ DE CRISTO TODOS SOMOS REDIMIDOS 

 

Nesta Sexta-Feira da Paixão de Jesus Cristo, 25/03/16, a Celebração na Igreja Matriz, presidida pelo Padre Sérgio e com a encenação do Evangelho e Via Sacra. 

Na celebração de hoje comemoramos os dois aspectos do mistério da cruz: o sofrimento que prepara a glória da Páscoa e a humilhação sofrida por Jesus, da qual emana sua glorificação. A liturgia celebra esse dia não como dia de luto e de choro, mas de contemplação do sacrifício de Jesus. A morte destinada a Jesus não era uma morte qualquer; era a pior possível, a morte torturada dos desqualificados, dos que não tinham direito à compaixão e à justiça, a forma mais cruel de tortura que aquela sociedade conhecia. Jesus tinha anunciado a Pilatos que era rei, mas de um reino que não é deste mundo. No entanto, Jesus se encarnou também para mostrar o quanto Deus se importa com as realidades comuns da vida humana. Ele declarou: tudo o que fizerdes a um destes pequeninos, a mim o fazeis. A cruz continua armada para Jesus em cada irmão que sofre enquanto pecados estragam a vida, irmãos maltratando irmãos. A morte de Jesus responde de modo inesperado à pergunta que tantos se fazem diante da violência: “onde está Deus numa hora dessas?” Em Jesus, Deus responde: estou aqui, do lado das vítimas, sendo torturado com elas, e dizendo a vocês que não se vence violência com violência, mas com amor, com solidariedade, tornando nossos os sofrimentos de quem sofre.

Fotos: Ednei Mineiro Faria / Paróquia Santa Rita de Cássia