Paróquia Santa Rita de Cássia - Campo Grande-MS.

 JESUS VEIO PARA DAR A SUA VIDA EM RESGATE DE MUITOS

Dia das Missões e da Juventude Missionária

Entrega da Cruz e da Oração do Pai Nosso aos Catequizandos 

Neste domingo, 18 de outubro de 2015, às 18:30h, a Missa Solene na Matriz Santa Rita de Cássia foi presidida pelo Superior Provincial, Padre Edgar Ertl, da Província Nossa Senhora Conquistadora dos Padres e Irmãos Palotinos de Santa Maria, contando ainda com a presença do Frater Wellington Macedo e as Irmãs Pastorinhas, Catequistas e um grupo de mais de 85 adolescentes da Catequese (Iniciação a Vida Cristão) que receberam a Cruz e a Oração do Pai Nosso durante a Celebração. A Igreja Matriz completamente lotada e decorada de rosa manifestando apoio e solidariedade ao movimento popular internacionalmente conhecido como Outubro Rosa que é comemorado em todo o mundo. O nome remete à cor do laço rosa que simboliza, mundialmente, a luta contra o câncer de mama. 

LITURGIA: Hoje, no Dia Mundial das Missões, é importante relembrar a participação  o compromisso missionário de todos os membros da Igreja. “Na Igreja de Cristo, todo batizado é missionário”. Neste domingo, vemos novamente um anúncio da Paixão e celebramos o verdadeiro significado do poder e do reinado de Cristo, que se traduz em serviço. Jesus inverte a lógica humana e explicita a lógica de Deus, pela qual os últimos são os primeiros; os que se elevam são humilhados; quem se humilha é exaltado; os que querem ser grandes devem se tornar servidores de todos.

De fato, o trono de Deus não é o trono de opressão ou de majestade avarenta, mas é trono da graça, do qual todos os que se aproximam com confiança recebem a misericórdia e o auxílio, no momento oportuno. No evangelho, Marcos narra o episódio ocorrido na subida para Jerusalém. Deveríamos esperar dos discípulos uma atitude de preocupação ou mesmo uma tentativa de impedir Jesus de ir em direção à sua morte. Ao contrário, porém, eles revelam total incompreensão das palavras de Jesus e uma busca humana de poder e destaque. Os discípulos ainda pensavam o Messias como um libertador, com um reinado que lhes soava como um governo político. O próprio pedido dos dois irmãos possui caráter de exigência: “queremos que faças por nós o que vamos pedir”, o que parece revelar certa soberba da parte de ambos, ao se considerarem dignos de tal posto diante dos outros discípulos.Tiago e João, no entanto, não pensam nisso e entendem seu cálice como cálice de vitória e de realeza e se declaram dispostos a dele beber. Finalmente, Jesus se dirige taxativamente a todos os discípulos: “entre vós, não deve ser assim”, não deve haver tirania, nem opressão, nem uso do poder para esmagar os outros. Jesus inverte a lógica do poder humano, e o desloca para o serviço e a humildade: “quem quiser ser o primeiro, seja o escravo de todos”. Para o cristão, ser grande significa colocar-se a serviço; trabalhar em prol dos outros. A autoridade provém da humildade. Não são, portanto, o poder e o destaque que tornam alguém grande aos olhos de Deus, mas o quanto cada um é capaz de compadecer-se do outro e colocar-se a serviço dele. 

Fotos: João Batista/PASCOM SANTA RITA