Paróquia Santa Rita de Cássia - Campo Grande-MS.

 MISSA DE INVESTIDURA DE NOVOS COROINHAS DA PARÓQUIA SANTA RITA DE CÁSSIA

"Foram investidos 14 novos membros" 

Neste domingo (17/05/2015), às 07:00 horas da manhã,  a Santa Missa, foi presidida pelo Pe. Jocerlei, vigário paroquial da paróquia Santa Rita de Cássia, contando ainda com a presença do Frater Wellington Macedo. Durante a Santa Missa o Pe. Jocerlei  apresentou, abençoou e investiu os novos coroinhas, na presença dos pais e padrinhos, familiares dos novos coroinhas  e demais pessoas presentes na celebração. A preparação e coordenação dos Coroinhas  é de responsabilidade do jovem Wellington Gonçalves Vaz Linhares. Nesta data (17/05) está sendo investido 14 (quatorze) novos membros, crianças e adolescentes. 

Investidura de novos coroinhas: Após um adequado período de preparação, um grupo de 14 crianças e adolescentes receberam a investidura, pelas mãos  do Padre Jocerlei em uma Solene Celebração. Deus nos chama a cada um pessoalmente pelo nome. Como chamou Abraão. A Pastoral dos Acólitos e Coroinhas nos chama pelos nossos valores, e a assim como São Tarcisio foi chamado a Igreja necessita de nossos serviços, pois a vocação é um chamado à alegria, por isso os nossos queridos coroinhas estão sendo acolhidos em nossa Paróquia Santa Rita de Cássia. 

A liturgia deste domingo leva-nos a refletir: IDE PREGAR O EVANGELHO. A Ascensão de Jesus foi um marco importante na vida da primitiva comunidade cristã. Após longo processo de formação, os discípulos tinham diante de si a missão de evangelizar o mundo inteiro, não contando mais com a presença física do Mestre. Desde que convocou os primeiros discípulos para segui-lo até o momento de sua subida para junto do Pai, Jesus não descuidou a tarefa de preparar o pequeno grupo de seguidores para o serviço da evangelização. As longas caminhadas permitiram-lhe ir explicitando para eles a mensagem evangélica. Os discursos dirigidos às multidões e os debates com seus adversários foram, também, ocasiões propícias para tornar conhecido seu pensamento. Não bastava, porém, a formação intelectual. Era preciso uma preparação em nível existencial. Isso se deu mediante o exemplo de vida do Mestre. Seu modo de tratar as pessoas, especialmente os pecadores e marginalizados, seu relacionamento íntimo com o Pai, sua liberdade diante da Lei, sua ação enérgica contra toda sorte de injustiça e exploração da boa-fé do povo serviam de alerta para os discípulos, em vista da atitude que deveriam tomar, no exercício da missão. Com a volta de Jesus para junto do Pai e a conclusão de sua missão terrena, chegou a hora de os discípulos assumirem sua tarefa. Doravante, Jesus passaria a agir por meio deles.

  Fotos: João Batista/PASCOM Santa Rita

  para ampliar click em cima da foto