Paróquia Santa Rita de Cássia - Campo Grande-MS.

 HISTÓRIA DA FUNDAÇÃO DA COMUNIDADE SANTA RITA DE CÁSSIA - Escrita por Vicente Agostinho de Oliveira 

Foi assim que tudo começou:

A Comunidade de Santa Rita de Cássia é o resultado do sonho de alguns homens e mulheres de boa vontade, dos quais muitos deles já não se encontra entre nós, mas os que aqui estão, contarão sobre o surgimento desta comunidade.

Eis que uma linda frase simplifica o entendimento de muito do que poderia ser dito a respeito deste fato: sonhar pode não ser realidade, no entanto quem não sonha não vive: (Vicente Agostinho). Esta foi uma frase dia antes de começar a luta  pela construção da capela, hoje Paróquia Santa Rita de Cássia.  A Comunidade onde eu vivo, da qual me sirvo e a quem eu sirvo, teve seu início em Março de 1972. O  Senhor Herminegildo e eu tínhamos o mesmo sonho; construir uma igreja em nosso bairro, ou pelo menos um lugar onde pudéssemos nos reunir para rezar e também discutir e buscar solução para os problemas existentes entre os moradores desta região.

Fomos até a imobiliária Guaicurus, que era na época responsável pela venda de terrenos nesta região, fomos por ela encaminhados ao bispo metropolitano Dom Antonio Barbosa (já falecido), com a informação de já haver uma área destinada a  construção de igreja, tal informação foi confirmada pelo Arcebispo já citado.

Dizia Dom Elder Câmara "Se sonhamos sozinho isto é apenas um sonho, mas se sonhamos em comunidade o sonho tornar-se-à realidade".

Procuramos outras pessoas que também desejavam ver o sonho de uma  comunidade realizado, e então a realidade sonhada se materializou e o resultado é que aí está a tão desejada comunidade, que no seu início teve o nome de Centro Comunitário do Bairro Universitário.

 

RESUMO DA HISTÓRIA 

Quando iniciamos o trabalho de preparação para o atendimento à comunidade, fomos buscar idéias entre os colaboradores, tendo em vista que nenhum de nós tinha  experiência alguma de como fazer o que nos propúnhamos, ou seja atender ao povo do bairro em suas necessidade, havia um senhor de nome Nelson Chaves, que na época era sócio da empresa Bem-Bom, que funcionava no Bairro São Francisco. O Senhor Nelson era contra a construção de igreja por entender que o ambiente ficaria restrito ao atendimento aos católicos, então os outros moradores ficariam de fora deste  projeto, foi assim que decidiu por chamá-lo de centro comunitário.

Logo passamos a atender pessoas através de cursos profissionalizantes tais como: pedreiro, eletricidade residencial, corte e costura, pintura, culinária e outros. Também passamos a dar atendimento medico e odontológico, através de convênio com o SESI  e o SENAI, a recém criada comunidade não tinha nome de igreja, mas  logo que começamos a atender o povo também começam a acontecer as celebrações de missas no local, como ainda não havia um espaço construído, celebrávamos à  sombra de uma árvore. 

Neste mesmo período um grupo de pessoas filiadas a partidos políticos decidiram fundar uma associação de moradores denominada "GUAICURUS". A partir de então fez-se desnecessário um centro comunitário, já que agora havia uma associação para cuidar da parte social do bairro, então decidimos que o nosso centro comunitário daqui por diante seria uma capela, mas para isso precisávamos construir um espaço maior e com adequação para capela, então como não havia recursos, fizemos uma diretoria provisória e começamos a promover festas, churrascos e quermesses para conseguir algum dinheiro para a compra de material de construção, conseguimos emprestado da capela São Geraldo lá do Jóquei clube, um aparelho de som para propaganda de rua, como não havia energia elétrica no bairro instalamos duas baterias de caminhão para acender algumas luzes e emprestávamos alguns lampiões à gás para iluminação do ambiente nas quermesses.

Engraçado era o texto da propaganda de rua, veja na integra: Queridos irmãos e amigos, estamos convidando a todos para a grande festa desta noite, desta que num futuro bem próximo será a grande comunidade desta região, venham, venham todos, vamos dar as mãos e formar o grande mutirão, para construirmos esta grande comunidade. Não percam.

No mês de Abril de 1974, decidimos fazer um churrasco, o primeiro da nova comunidade, ficou marcado para o dia 05 de Maio, na véspera, um belo Sábado de muita chuva precisávamos preparar o ambiente, decidimos fazer barracas de folhas de coqueiro, fomos buscar as mesmas numa fazenda perto de Terenos, ali aconteceu um episodio muito interessante, estávamos em três pessoas: Vicente, Amauri Martins Lopes e Carlos Martins Teodorico(Carlinhos), caminhando até os fundos da fazenda, embaixo de muita chuva encontramos uma capelinha tipo gruta de pedra, vimos que havia no chão sobre a areia dentro da gruta uma imagem conhecida do Senhor Amauri que nos informou que era Santa Rita de Cássia, a Santa das causas impossíveis. Rezamos aos pés da santa um pai nosso e uma Ave Maria. Depois meio num tom de brincadeira eu disse: será que esta santinha tão pequena pode nos alcançar tão grande graça? O Amauri disse: você só vai saber se pedir e acreditar. Então eu disse: nossa comunidade ainda não tem nome de santo, vamos dar a ela essa oportunidade, se ela ajudar que amanhã tenhamos um bom dia e uma boa festa. ela será a padroeira de nossa comunidade. Imaginemos como foi o Domingo e o churrasco, foi um grande dia e uma grande bela festa, a partir de então o nome de nossa capela passou a ser chamado de Santa Rita de Cássia.

O Padre José May, um redentorista responsável pela paróquia Santo Antonio  a quem pertencíamos como capela, fazia aniversário de 51 anos de idade e a sua irmã que mora na Itália, perguntou o que ele gostaria de ganhar de presente e ele pediu a ela dinheiro para construção da capela, então a sua irmã mandou 20.000 cruzeiros, cujo dinheiro deu para comprar duas portas e todas as janelas, deu ainda para pagar um pedreiro para fazer o reboco da capela e ainda para comprar uma imagem de Santa Rita de Cássia, a igreja matriz estava trocando os bancos e o altar e doou para a Santa Rita, os bancos e o altar, fato este que nos deu a condição de inaugurar a nossa capela.

Muitas pessoas contribuíram para que esta comunidade pudesse acontecer de verdade, pessoas que em sua maioria já não estão entre nós, muitas morreram, outros se mudaram para outros estados, ou para cidades distantes, no entanto eu sinto a presença de cada um, pela importância que tiveram no processo histórico desta hoje Paróquia Santa Rita de Cássia.

O primeiro grupo desta comunidade, foi a Legião de Maria, logo depois iniciou-se a catequese, pessoas vinham lá da matriz para dar catequese aqui, na comunidade, as mesmas pessoas organizavam as nossas celebrações, trazia materiais litúrgicos, no mês de outubro de 1975, eu e minha esposa, fomos participar de um grupo de um movimento chamado Bíblia-Gente, havia muitos jovens participando então convidamos aqueles jovens par fundar um grupo, dos quais estão alguns presentes hoje aqui para testemunhar a alegria que foi poder fundar aquele grupo denominado JAOCC (que significa Jovens Amando, Orando, Caminhando com Cristo). Logo depois veio para nosso convívio o Senhor Américo que imediatamente fundou o grupo da congregação Mariana. em 1979 veio para Campo Grande o Padre Genézio Bonfada. O ministro Pedro Esquivél me apresentou como candidato a ministro da eucaristia e o padre Genézio me convidou para fazer o curso para ministro e no dia 02 de Novembro de 1982, o Arcebispo veio à nossa comunidade para dar a minha investidura, a partir de então tornei-me Ministro da comunhão eucarística e da palavra.

Depois de muita contenda vieram as irmãs pastorinhas: as que chegaram primeiro de todas foram: Ir. Lucinda (já falecida), em seguida a Ir. Carolina, Ir. Irany e a Ir. Lurdes, antes da decisão de trazê-las para esta comunidade, aconteceu um episódio engraçado por causa da nossa pobreza, o padre disse que irmãs não se alimentam de brisa e nem moram em ninhos, queiram que elas fossem morar lá na Jockey, comunidade de São Geraldo Magela, no entanto insistimos  e conseguimos que elas viessem morar aqui conosco graças a Deus e a Nossa Padroeira Santa Rita dos caos impossíveis.

Tomada a decisão então começamos a campanha do tijolo e do cimento para a construção da casa das Irmãs, o Senhor José de Barros (conhecido como Senhor Otta), como sempre foi conhecido botou a mão na massa, ele era o presidente da diretoria da comunidade, conhecia muita gente começou a promover mutirão. Trazia pessoas de todo lugar, homens mulheres, fazia almoço no local para os trabalhadores, nunca pagava nada para fazer, a menos que fossem trabalhos que não pudesse ser feito em mutirão, o certo é que em tempo recorde, a casa das Irmãs estava pronta, é bom lembrar que o único dinheiro gasto da comunidade na obra foi a compra da laje, o material elétrico e da pintura (tinta), o restante do material e mão de obra foi tudo doado, recebemos doação até do então Prefeito de Glória de Dourados Senhor José de Azevedo.

Logo que as Irmãs chegaram começaram a surgir novos grupos na comunidade, tais como: Novos grupos de jovens, grupos de família, pastoral familiar, casais, melhor idade, criado através da Irmã Flora e até a comunidade Nossa Senhora Aparecida, também sob a insistência e orientação da Irmã Flora.

Surgiram muitas comunidades, cada vez ficava mais difícil para a matriz Santo Antônio administrar tantas novas comunidades, então o Arcebispo Dom Vitório Pavanello decidiu criar novas três paróquias: São Judas Tadeu, Santa Rita de Cássia e a Paróquia das Nossa Senhora Aparecida das Moreninhas.

No dia 09 de Abril de 1988, foi homologada por DomVitório a nova Paróquia de Santa Rita de Cássia e a mesma teve empossado como primeiro Pároco o padre Gentil Lorenzene (já falecido). Quatro anos depois foi iniciada a construção da Igreja Matriz, o pároco neste ano era o ainda jovem Padre João Evangelista Sobrinho cujo padre João ficou aqui até a inauguração da obra, cuja pedra fundamental foi colocada bem no centro do altar em baixo do piso, antes de ser lacrada e colocada ela foi recheada de mensagens e de agradecimentos, também foi colocado dentro da mesma os nomes de todas as pessoas que participaram dos mutirões e das decisões da nova paróquia de Santa Rita de Cássia.

Foram entregues Pelo Arcebispo Dom Vitório as chaves do novo templo e sacrário nas mãos do padre João, ele recebeu as chaves emocionado e chorando disse: construímos a casa de pedra, agora é hora de começar a construção do templo vivo.

A nova igreja construída e dedicada a aquela imagenzinha perdida no meio do mato, que tanto nos ajudou e continua a nos ajudar até hoje e se Deus quiser, para sempre.

Padres Redentoristas, padres Palotinos e Irmãs de Jesus Bom Pastor(pastorinhas) muito obrigado, por que todos e todas vós, fizeram parte desta história. Amém.

Historiador e testemunha: Vicente Agostinho de Oliveira

Paróquia Santa Rita de Cássia.