96 Jovens participaram do 20º DESPERTAR das paróquias palotinas de Campo Grande-MS. 

Neste domingo, 28 de agosto/2016, às 19:00 horas, no Santuário São Judas Tadeu, foi celebrada a Santa Missa de encerramento do 20º DESPERTAR da juventude das paróquias palotinas de Campo Grande (paróquia São Judas Tadeu, paróquia Santa Rita de Cássia, paróquia Divino Espírito Santo e paróquia São Martinho de Lima). A Celebração foi presidida pelo Padre Antônio Ferreira Rodrigues (Tonico) e concelebrada pelos Padres:  Andriano José Dalmolin, Sérgio Luiz Coldebella, e Manoel Pierri Primo (pároco da Paróquia São Vicente Pallotti/Palotina-Paraná)  e contando ainda com a presença do Diácono: Elvin Limberger da Paróquia São Martinho de Lima e o Diácono Wellington Macedo da  Paróquia Divino Espírito Santo.  

O DESPERTAR foi realizado nos dias 26, 27 e 28 de agosto/2016 no Centro de Formação São Vicente Pallotti e contou com um grupo de mais 150  jovens trabalhando e 96 jovens participando do encontro. 

O DESPERTAR tem o objetivo de renovar a fé da juventude católica e compartilhar o entusiasmo do anúncio e do compromisso com o próximo. O Despertar é uma oportunidade de mostrar o rosto jovem da igreja.  

Para completar a festa da juventude nesta noite, 28 de agosto, o Santuário São Judas Tadeu recebeu a visita da imagem peregrina de Nossa Senhora Aparecida. 

Neste Dia Nacional do Catequista, queremos lembrar com muito carinho tantos homens e mulheres que desempenham esse importantíssimo ministério em nossas comunidades, não esquecendo que os primeiros catequistas devem ser os pais.

 

ReflexãoNo tempo de Jesus os banquetes e as grandes festas eram ocasiões de manifestar prestígio e distinção social. Privilégio apenas de alguns que, como hoje, gostariam de sentir-se “celebridades”, importantes por terem sido convidados e ainda mais se lhes fosse possível ocupar um lugar de destaque entre os demais. O costume era convidar apenas quatro categorias de pessoas: os amigos, os irmãos, os parentes e os vizinhos ricos. Jesus cita outras quatro categorias de pessoas: os pobres, os aleijados, os coxos e os cegos. Conforme as leis do Antigo Testamento, esses não podiam entrar no Templo do Senhor, pois eram consideradas pessoas pecadoras, impuras, condenadas por Deus. A lição de Jesus se resume na humildade: “Todo aquele que se eleva, será abaixado e o que se abaixa será elevado.” É preciso dar início a um novo tipo de banquete. Olhemos para Jesus Cristo: mesmo sendo Deus assumiu humildemente nossa condição humana, não buscou as glórias deste mundo mas nos deu em tudo exemplo de humildade e mansidão. O discípulo de Cristo é chamado a viver a humildade no serviço e na opção pelos que ocupam os últimos lugares na sociedade. O Evangelho de hoje não fica apenas na lição de humildade, vai mais além. Jesus nos ensina que, quando dermos uma festa, devemos convidar justamente os que ninguém convida e nem sequer são lembrados. É claro que Jesus não está contra a que convidemos nossos amigos e amigas, aqueles que nos são mais íntimos e que amamos, mas quer que tenhamos a sensibilidade e a gratuidade diante daqueles que não têm quem os convide por não terem como retribuir. É desejo de Deus que todos participem da mesma igualdade e dignidade. Se conseguirmos viver isso, estaremos fazendo, já aqui, acontecer o Reino de Deus.

Fotos: João Batista/PASCOM SANTA RITA